segunda-feira, 22 de junho de 2015

Um ano sem Lua - 27 de junho: Tomada do Brasil pelas Artes Públicas - Dia da Lua contra a Violência Policial






Dia 27 de junho faz 1 ano que Luana Barbosa foi assassinada pela Polícia Militar do Estado de São Paulo. Lua não é um caso isolado, com ela pelo menos outras 815 pessoas foram mortas por policiais militares no Estado de SP em 2014. 
Só nos três primeiros meses deste ano já foram 185 mortos em “confrontos” com a polícia militar. São números crescentes e inaceitáveis, sobretudo porque se sabe que a maior parte dessas mortes poderiam ser evitadas. 
Também chama a atenção que quase 100% das mortes causadas por policiais militares tem seus processos arquivados, ou seja, não há investigação, e que quase sempre as vitimas são jovens, negros e pobres da periferia. 
A própria Ouvidoria das Polícias do Estado admite que a polícia militar mata sem precisar e que praticamente não há a investigação desses crimes, prevalecendo a impunidade.
O coletivo do Galpão da Lua irá promover uma série de atividades neste dia 27 com o objetivo discutir a violência policial e a necessidade de desmilitarização da polícia.

Confira a programação:

10h - Espetáculo Blitz (Trupe Olho da Rua - Santos SP)
11h - Ato Artístico Nossos Mortos Tem Voz.
Local: Calçadão - Praça 9 de julho

17h - Debate - Violência Policial e Direito à Verdade - Com Mães de Maio.
20h - Espetáculo - A Confissão de Leontina (com Erika Moura - São Paulo)
Local: Galpão da Lua.

Movimento MM
Sobre as MÃES DE MAIO:  Reune familiares de vítimas de violência do Estado, mais especificamente pessoas mortas pela Polícia Militar de São Paulo. No ano de 2006, policiais e grupos de extermínio ligados à Polícia Militar promoveram o assassinato de 562 pessoas: mais de 400 jovens negros, afro-indígena-descendentes e pobres. A imensa maioria delas executadas sumariamente, no intervalo de pouco mais de uma semana, configurando o episódio que ficou conhecido como os “Crimes de Maio”.

Trupe Olho da Rua - Blitz
Sobre o espetáculo BLITZ (Trupe Olho da Rua - Santos SP): Seguindo a ordem e o progresso nacional, nada mais (in)conveniente que passar por uma BLITZ (do alemão blitzkrieg, “guerra-relâmpago”, ou ataque repentino), ou ter seus direitos violados pelo Estado. A opressão que o brasileiro vive hoje nas ruas, seja em meio a manifestações ou indo comprar pão na esquina é levada de forma satírica e mordaz pelo grupo, seja suscitando a discussão sobre a desmilitarização da polícia e o exacerbado militarismo como resquício do período ditatorial ou como diria Brecht "um grande divertimento quanto aos tempos de barbárie."
 

A confissão de Leontina
Sobre o espetáculo A CONFISSÃO DE LEONTINA (com Érica Moura). O espetáculo tem direção do ator paulistano Marat Descartes, que recentemente recebeu o Prêmio Shell 2006 de Melhor Ator por sua interpretação no teatro do romance "Primeiro Amor", de Samuel Beckett. O monólogo retrata uma realidade muito brasileira: uma menina pobre, Leontina, nascida numa pequena cidade do interior (de nome sugestivo, Olhos d´Água), que foge para a cidade grande. Pouco letrada e sem ninguém no mundo para se preocupar com ela, trabalha como dançarina de aluguel. Sofre as agruras da metrópole, até parar atrás das grades, de onde ela passa a narrar sua trajetória.

Neste mesmo dia, em diversos locais do pais, vai acontecer Ato com a participação da Rede Brasileira de Teatro de Rua - RBTR que por meio dos seus articuladores definiu este dia como Dia Nacional da Tomada do Brasil pelas Artes Públicas e Contra a Violência Policial.
(Ver mais: http://rbtr.com.br

Para o diretor de teatro e teatrólogo Amir Haddad, que participa da RBTR e é natural da mesma cidade de Lua Barbosa, Rancharia-SP,  neste dia  “Nós somos as forças desarmadas da população”. 




Texto escrito por Lua Barbosa em 04/05/2014, intitulado por ela: Projeto Viver!

*  *   *  *

Julgamento do caso: A Justiça Militar absolveu o policial que matou Lua Barbosa da acusação de homicídio culposo. A partir da investigação da Polícia Civil o Ministério Público fez a denúncia de homicídio doloso e a Vara do Juri de Presidente Prudente aceitou. Como já transcorreu o processo e julgamento na Justiça Militar, o caso foi parar no Supremo Tribunal de Justiça – STJ que agora precisa decidir sobre o conflito de competência entre a Justiça Militar e a Vara do Juri. A decisão será do ministro Gurgel de Faria. As outras denuncias de adulteração e ocultação de provas, ainda não foram investigadas.

Mais informações:
http://federacaoprudentinadeteatro.blogspot.com.br/2015/03/para-justica-militar-assassinato-nao-e.html





quarta-feira, 10 de junho de 2015

Respeitável Público... Com vocês o Território das Artes!

Projeto Território das Artes dá inicio neste sábado com espetáculo no bairro Augusto de Paula.

A Federação Prudentina de Teatro e Artes Integradas – FPTAI foi premiada numa seleção pública de projetos de Território das Artes (manutenção de espaços) para apoio cultural.
O Projeto aprovado no Edital Território das Artes do ProAC oferecerá gratuitamente para o público uma programação com atividades formativas e espetáculos de circo, música, teatro e Cultura popular.

O projeto Galpão Cultural Lua Barbosa, da entidade, está entre os 35 contemplados no Programa de Ação Cultural (ProAC) da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, e permitirá ao coletivo artístico prudentino a continuidade do trabalho que vem realizando na área de cultura desde 2010, promovendo atividades sempre gratuitas nos bairros e espaços alternativos da cidade.


A primeira atividade do projeto acontecerá no próximo sábado dia 13, às 20h, no bairro Augusto de Paula, na rua: Antônia Rossi Fuzzo, próximo ao CRAS, com o espetáculo “O Sumiço do Boi Pintadinho” do grupo Mamulengo Rasga Estrada.


Além do Augusto de Paula as atividades artísticas do projeto serão realizadas no bairro Morada do Sol e no Galpão da Lua, Sede da FPTAI.

O bairro Morada do Sol é um local onde o coletivo artístico tem atuado com maior frequência e também onde já foram realizadas dezenas de espetáculos. O trabalho lá é tão significativo que há sempre uma grande presença de público e aceitação da comunidade. Para os artistas do Galpão, essa experiência de formação de público representa a força da arte e cultura entre a população nos bairros e expressa a demanda de políticas públicas que promovam a descentralização e difusão do bem cultural nas periferias das cidades. Os espaços públicos são vistos como a porta para esse processo, pois nele, em qualquer lugar, é possível o encontro que a arte requer com as pessoas para se efetivar como bem comum. No Morada do Sol, as atividades acontecerão em dois locais, na rua em frente a Casa da Sopa e na popular Praça do Wi-Fi, local muito frequentado por jovens do bairro.

O Galpão da Lua, espaço sede do coletivo, que fica no bairro Vila Brasil é um grande beneficiado pelo projeto. Ali acontecem atividades desde 2011, sendo atividades de formação, pesquisa e produção artística e uma agenda de oficinas e espetáculos sempre gratuitos.

O Galpão na Vila Brasil tem esse nome em memória e homenagem a Luana de Almeida Barbosa, vítima de um tiro disparado por um cabo da Polícia Militar, crime que completa 1 ano no próximo dia 27 de junho. “Lua”, como era conhecida, participava do coletivo da FPTAI desde a sua vinda para Presidente Prudente, em 2010, quando junto com outras pessoas iniciou um trabalho que dá hoje ao espaço que leva o seu nome o reconhecimento de “Território das Artes”.

Os territórios das artes são, conforme o Edital (26/2014) do ProAC, espaços  com iniciativas de gestão autônoma da sociedade civil para a prática experimental das diferentes linguagens artísticas, notadamente quanto ao papel de produção, formação e difusão pública. Um Território das Artes pode desenvolver ações internamente ou pode servir de base estruturante para ações desenvolvidas externamente.

A programação artística do projeto tem uma grade variada de oficinas e espetáculos de circo, teatro, música, além de eventos de cultura popular, que se somará a outras atividades realizadas pelo coletivo ao longo do ano.

Mais informações sobre o projeto aqui no Blog e no Face da Federação:
https://www.facebook.com/federacaopteatro?fref=ts

Veja a programação completa do projeto Território das Artes:

13 de JUNHO, sábado, 20h 
Espetáculo: O Sumiço do Boi Pintadinho (Grupo Mamulengo Rasga Estrada)
Local: Bairro Augusto de Paula

27 de JUNHOsábado, 10h
Ato artístico: Um ano sem Lua
Espetáculo: Blitzz (Trupe Olho da Rua - Santos SP)
Local: Calçadão Presidente Prudente

27 de JUNHOsábado, 20h
Ato artístico: Um ano sem Lua
Espetáculo: A Confissão de Leontina
Local: Galpão da Lua

4 de JULHO, sábado, 20h
O quê? Arraia Festa da Lua
Local: Galpão da Lua

Dia 22 de JULHO, quarta feira, 20h
Espetáculo: Reencontro do palhaço na rua é a alegria do sol com a lua (Turma do Biribinha - Arapiraca - AL)
Local: Galpão da Lua

Dia 23 de julho – Quinta feira, 8h
Programação Federação
Workshop: A Arte a Palhaçaria Tradicional


25 de JULHO, sábado, 20h
Espetáculo: Amoré (Companhia de Teatro Vermelho)
Local: Galpão da Lua

1 de AGOSTO, sábado, 14h às 17h
Oficina de Máscaras (Grupo Brincantes do Pisa chão)
Local: Galpão da Lua

8 de AGOSTO, sábado, 19h
Intervenção: A obra inacabada de Frida kahlo (Companhia de Teatro Vermelho)
Local: Bairro Morada do Sol.

8 de AGOSTO, sábado, 20h
Show: Maracutaia Sound System (Banda Mocambo Groove).
Local: Bairro Morada do Sol

12 de SETEMBRO, sábado, 20h
Show: Projeto Som da Casa
Local: Galpão da Lua

28 de NOVEMBRO, sábado, 16h às 18h
Oficina: Brincadeiras Cantadas (Quévê Vemvê)
Local: Bairro Morada do Sol

8 de DEZEMBRO, terça feira, 20h
Concerto: Percussionismo (Grupo Percussionismo).
Local: Galpão da Lua

12 de DEZEMBRO, sábado, 20h
Espetáculo: Cabaré Cultural
Local: Galpão da Lua

19 de DEZEMBRO, Sábado, 21h 
Peça: Hoje tem Espetáculo (Grupo Rosa dos Ventos)
Local: Bairro Morada do Sol


2016



6 de FEVEREIRO de 2016, sexta feira, 20h – Bloco de Carnaval de Rua Etanóis. Local: Galpão da Lua

Atividades Permanentes no Galpão da Lua

Todas as quintas-feiras, das 15h30 as 18h30 - Tecido e Acrobacias Aéreas.

Todas as segundas-feiras, das 17h as 19h - Bloco Percussivo Maracanóis.

terça-feira, 9 de junho de 2015

Dia 27 de junho: Tomada do Brasil: Dia da Lua contra violência policial

Dia 27 de junho grupos de Artes de Rua de todo o Brasil sairão às Ruas para com sua arte gritar pelo dia da Lua contra violência policial

TOMAR O BRASIL! TOMAR AS RUAS!



A violência institucionalizada pelo Estado fez mais uma vítima: a atriz, palhaça e produtora cultural Luana Barbosa. No dia 27 de junho de 2014, a jovem Lua preparava-se para comemorar seus 25 anos de idade, recém completados, quando ela e seu namorado foram abordados de forma tão equivocada quanto truculenta por uma blitz policial, na cidade de Presidente Prudente. Um disparo desnecessário, estúpido, gratuito, saiu da arma de um policial, como tantos outros, treinado para desconfiar das pessoas, para percebê-las como inimigos da lei e da ordem. Esse único disparo silencio a voz e o sorriso de Luana.

Lua Barbosa não é um caso isolado, nem uma exceção: a arbitrariedade, o total desrespeito aos direitos humanos e a violência desmedida constituem hoje o cotidiano do trato do Estado com a população. A sua corporação policial militar, desde sua formação, ainda em tempos de ditadura civil militar, mantem-se em permanente estado de guerra contra trabalhadores e trabalhadoras, contra a juventude negra, as denominada minorias e contra as camadas mais baixas da população.

A polícia militar tem atendido aos valores excludentes e preconceituosos do Estado, não poupando gastos imensos em equipamentos, armamentos e treinamentos de combate. E pelo caminho desse Estado e de sua polícia, as vítimas multiplicam-se em números de guerra, são Amarildos, Claúdias, Luanas e tantos mais que perdem suas vidas, vítimas da guerra da elite brasileira contra o povo brasileiro.

Nós, da REDE BRASILEIRA DE TEATRO DE RUA, não entraremos nessa guerra. Mas nos manifestaremos! Declaramos o dia 27 de junho como DIA NACIONAL DA TOMADA DO BRASIL! ocuparemos ruas, praças, vielas com nossa arte, com nossas vozes, com nossas músicas. Tomaremos as cidades, invadiremos seus espaços públicos, e cantaremos pela Arte Pública, pela Saúde Pública, pela Educação Pública, pelo direito a Moradia, cantaremos por um país que respeite a dimensão da convivência pública e pacífica, pelo direito a diversidade e pela justiça social, política e econômica. Tomaremos nossas cidades, com arte, com música, com dança, com loucura, com afeto, com tambores, com liberdade, com bandeiras, com gritos, com festa, com troca e teatro.

Pelos espaços públicos!

Pelas artes públicas!

Por cidades mais públicas!