domingo, 12 de setembro de 2010

O que? Como? Quando? Onde? - Nosso trabalho

O Ponto de Cultura Prudente em Cena é um projeto da Federação Prudentina de Teatro, que tem como objetivo levar arte e cultura a dois bairros periféricos da cidade de Presidente Prudente, carentes desse tipo de política cultural. Os bairros são Vila Lider e Morada do Sol. Desde o começo do projeto, já foram realizado 3 apresentações artísticas, sendo uma em cada bairro, totalizando assim 6 apresentações. São estas: Cortejo Artístico (artistas seguem pelas ruas acompanhados de música ao vivo, com palhaços, perna de pau, personagens, malabaristas, etc), Revista Teatral (mostra de esquetes cômicas) e Quadrilha Teatral (encenação de um casamento matuto e quadrilha com os personagens). Com isso, já alcançamos um público de mais de 1200 expectadores, criamos reconhecimento nos bairros e obtivemos o carinho e a resposta positiva dos moradores, que nos recebem com abraços calorosos quando chegamos, e nos perguntam quando voltaremos novamente.

  • 25/07 - 20h - Quadrilha Teatral, Pça da Igreja Nossa Senhora Aparecida (Vila Marcondes), aprox. 100 pessoas

  • 18/07 - 20h - Quadrilha Teatral, Pça da Paróquia São Pedro (Vila Lider), aprox. 250 pessoas

  • 17/07 - 20h - Quadrilha Teatral, Casa da Sopa (Morada do Sol), aprox. 250 pessoas

  • 09/05 - 19h - Revista Teatral, Casa da Sopa (Morada do Sol), aprox. 250 pessoas

  • 08/05 - 19h - Revista Teatral, Vila Líder, aprox. 150 pessoas

  • 10/07 - 17h - Cortejo Artístico no Morada do Sol, aprox. 150 pessoas

  • 03-04 - 17h - Cortejo Artístico na Vila Líder, aprox. 100 pessoas


Quadrilha Teatral na Vila Lider



Quadrilha Teatral no Morada do Sol


Revista Teatral - Vila Lider


Revista Teatral - Morada do Sol


Cortejo - Vila Lider
Cortejo - Morada do Sol









segunda-feira, 6 de setembro de 2010

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

VISITAS E APOIO DURANTE O FENTEPP

Durante o Festival Nacional de Presidente Prudente, quando fizemos nossas manifestações, recebemos visitas de alguns grupos em nossa sede e apoio de muitos artistas. Porque como fazemos questão de frisar, não somos contra o Festival! Muito pelo contrário, somos a favor, porém lutamos por outros formatos e pela cultura municipal, luta esta entendida e apoiada por diversos artistas que por aqui passam ou acompanham nossa luta de longe. Temos recebidos emails de grupos de todo o Brasil, nos apoiando, oferecendo ajuda e força - e incrédulos com a situação da cultura prudentina.

...que visitaram a Federação e Ponto de Cultura, e se mostraram fovoráveis a nossas ações:
  • Cia Pessoal do Faroeste (SP)
  • Cia do Miolo - (Movimento de Teatro de Rua de SP, um de nossos apoiadores)
  • Cia Nu Escuro (GO)

Cia do Miolo (MTR-SP), por A. Sobreira

...que nos proporcionaram conversas e se mostraram favoráveis a nossas ações:

  • Nacompanhiadosanjos (SP)
  • Cia Mungunzá (SP)


Agradecemos a visita, o apoio e mais uma vez deixamos claro que a FPT e Ponto de Cultura Prudente em Cena está sempre de braços e portas abertas... ! Somos um só, com muita força (d)e vontade!

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Matéria publicada no blog do jornalista Ulisses J. de Souza

Para acessar, clique aqui: Portal Uniol - Blog


Mouquice cultural
Escrito por Ulisses José de Souza em 24/08/2010 às 18:00:26

Membros da Federação Prudentina de Teatro volta e meia põem a boca no trombone, literalmente.

Ontem, promoveram um barulho cultural nos ouvidos moucos dos vereadores. O protesto foi silencioso, mas o texto distribuído aos nobres edis era barulhento.


Ouvidos moucos na Câmara
As manifestações não se restringiram ao legislativo. Como só eles sabem fazer, grupos como Rosa dos Ventos e Mamatchas foram às ruas com um boneco gigante do secretário de Cultura, que é rotulado no site da Federação como “Secontrário de Cultura”.

O barulho pode não ter sido alto, mas em pleno desenvolvimento do Festival Nacional de Teatro deveria ter tido o poder de sarar ou amenizar a mouquidão que impregna os escalões municipais.

A mídia também se fingiu de morta. Não viu e não ouviu. Cobriu apenas o espetáculo interno do Fentepp. Exceção ao jornal “O Imparcial”. A mouquice atingiu também redações de TVs, sites, jornais e revistas da cidade.

Os representantes da Federação reivindicam um Conselho Municipal deliberativo e que seja reconhecido pelos poderes executivo e legislativo.


Ouvidos moucos nas ruas
Ora, a maior balela hoje se chama Conselho Municipal, de qualquer coisa. Foi criado para ser um instrumento democrático de debate das ações do gestor político e até de fiscalização. Mas as entidades, escolas e o escambau que podem participar dele estão atreladas ao poder dominante. E isso no interiorzão é fatal! Com a municipalização das verbas, sejam elas federais ou estaduais, os representantes dos Conselhos “comem na mão do rei de plantão”. O resto é conversa para boi dormir.

Por isso, entendo que a questão da cultura em Presidente Prudente já não é nem para ouvidos moucos, mas sim para o momento que o deslumbramento cegante esvair-se no horizonte.

Coisa não muito provável tendo em vista o estilho de caudilhismo que as administrações municipais, sejam de qualquer partido, governam e subsistem em Presidente Prudente.

Triste do município, carente de olhos e ouvidos.