quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Matéria publicada no blog do jornalista Ulisses J. de Souza

Para acessar, clique aqui: Portal Uniol - Blog


Mouquice cultural
Escrito por Ulisses José de Souza em 24/08/2010 às 18:00:26

Membros da Federação Prudentina de Teatro volta e meia põem a boca no trombone, literalmente.

Ontem, promoveram um barulho cultural nos ouvidos moucos dos vereadores. O protesto foi silencioso, mas o texto distribuído aos nobres edis era barulhento.


Ouvidos moucos na Câmara
As manifestações não se restringiram ao legislativo. Como só eles sabem fazer, grupos como Rosa dos Ventos e Mamatchas foram às ruas com um boneco gigante do secretário de Cultura, que é rotulado no site da Federação como “Secontrário de Cultura”.

O barulho pode não ter sido alto, mas em pleno desenvolvimento do Festival Nacional de Teatro deveria ter tido o poder de sarar ou amenizar a mouquidão que impregna os escalões municipais.

A mídia também se fingiu de morta. Não viu e não ouviu. Cobriu apenas o espetáculo interno do Fentepp. Exceção ao jornal “O Imparcial”. A mouquice atingiu também redações de TVs, sites, jornais e revistas da cidade.

Os representantes da Federação reivindicam um Conselho Municipal deliberativo e que seja reconhecido pelos poderes executivo e legislativo.


Ouvidos moucos nas ruas
Ora, a maior balela hoje se chama Conselho Municipal, de qualquer coisa. Foi criado para ser um instrumento democrático de debate das ações do gestor político e até de fiscalização. Mas as entidades, escolas e o escambau que podem participar dele estão atreladas ao poder dominante. E isso no interiorzão é fatal! Com a municipalização das verbas, sejam elas federais ou estaduais, os representantes dos Conselhos “comem na mão do rei de plantão”. O resto é conversa para boi dormir.

Por isso, entendo que a questão da cultura em Presidente Prudente já não é nem para ouvidos moucos, mas sim para o momento que o deslumbramento cegante esvair-se no horizonte.

Coisa não muito provável tendo em vista o estilho de caudilhismo que as administrações municipais, sejam de qualquer partido, governam e subsistem em Presidente Prudente.

Triste do município, carente de olhos e ouvidos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário